Siglas do Pix: afinal, quem é quem nessa história?

Escrito por: Letícia Santana

Provavelmente você já se perguntou quem criou o Pix ou qual é a fórmula mágica desse serviço de pagamento instantâneo. As respostas se encontram no significado de cada uma das siglas que integram esse universo. Vem com a Spin e veja quais são elas!

Siglas do Pix: afinal, quem é quem nessa história?

Imagine uma sopa de letrinhas, palavras cruzadas, diversas siglas, tudo muito complexo. Esse é o mundo financeiro. Só que tudo se tornou mais simples após a chegada do Pix. Porém, antes de começar, vale lembrar que no dicionário desse serviço de pagamento instantâneo, a primeira resposta para o que significa Pix é uma das que ficam: Pix não é uma sigla, mas sim uma marca.

Descomplicar o que parece impossívelé um dos objetivos do Pix e por isso ele levou esse nome (já chegaremos lá!). Não à toa, esse também é um dos maiores objetivos da Spin Pay. Dito isso, vamos juntos tornar tudo mais fácil, “começando pelo começo”!

O que é BC? O que significa SPI? E SPB? O que é DICT? Parece muito para uma cabeça só, né?! Mas calma, todas essas siglas integram o universo do Pix e possuem sentido único. Já falamos um pouco sobre em outro texto, mas desta vez trazemos outros conceitos para a conversa. Conhecer cada um deles é um dos primeiros passos para entender como funciona esse serviço de pagamento, se o Pix é seguro, entre outros questionamentos...

Lembra que comentamos lá em cima que o Pix não é uma sigla? Pois é, na verdade, o meio de pagamento foi batizado dessa maneira porque a palavra Pix remete à tecnologia, pixels e transações. Portanto, para entender o que significa Pix, basta lembrar que o termo é, nada mais nada menos, do que uma marca criada para identificar o pagamento instantâneo de forma simples e criativa.

E agora que já colocamos os “pingos nos Is”, é hora de falar do que realmente é sigla, mas antes, um último lembrete: não vale sair deste texto com dúvida e se tiver alguma, vem no nosso FAQ e deixe de lado todas elas.1, 2, 3 e já!

1. BC - Banco Central do Brasil

Essa é importante conhecer não só por causa do Pix e sim porque ele é uma instituição que tem grande influência na economia do país. O BC é o “Banco Central do Brasil” e pode ser chamado apenas de “Banco Central”, ou de BACEN – que, por sinal, foi quem criou o Pix. Em linhas gerais, a entidade é uma autarquia federal que, nas suas próprias palavras, tem como princípio:

“Garantir a estabilidade do poder de compra da moeda, zelar por um sistema financeiro sólido, eficiente e competitivo, e fomentar o bem-estar econômico da sociedade.”

Para isso, o BACEN trabalha em cima de algumas funções. Algumas delas são a emissão de moeda, o trabalho como banco do governo – detendo as contas mais importantes – e a função de banco dos bancos, o que significa que todas as instituições financeiras devem ter registro no Banco Central. Para entender melhor sobre a composição do BC é só clicar aqui!

2. SPB - Sistema de Pagamentos Brasileiro

Para explicar o que é SPB, o exemplo utilizado será uma teia. Isso mesmo! Você deve estar se perguntando o porquê, mas a resposta é simples. Uma teia é estruturada por diversos fios condutores que fazem ela se sustentar, assim também é o Sistema de Pagamentos Brasileiro.

Ele é composto pelas instituições financeiras do BC e por algumas outras entidades, como a Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos Privados (CETIP). Dessa maneira, juntas, todas as instituições que formam o SPB fazem com que ele funcione com eficiência.

Mas afinal, qual é a função do Sistema de Pagamentos Brasileiro? Como o próprio nome já diz, o SPB atua na frente de processos que envolvem as movimentações financeiras entre os agentes econômicos. Logo, é responsabilidade desse sistema fazer com que todas essas operações sejam feitas de forma ágil e rápida. E não para por aí: o SPB também liquida os pagamentos para pessoas jurídicas e físicas. Sem ele não seria possível ter Pix! Nesse sentido, a liquidação realizada pelo SPB (e também pelo SPI) significa a transferência de valores entre as contas, fazendo o dinheiro girar com segurança.

3. SPI - Sistema de Pagamentos Instantâneos

Para entender o que significa Pix, também é importante saber o conceito de SPI. O Sistema de Pagamentos Instantâneos é uma estrutura específica para a operação de pagamentos com o Pix. Esse sistema é focado na liquidação desses pagamentos entre as instituições existentes do Brasil e começou a fazer parte do Banco Central em novembro de 2020, tirando do papel a ideia do Pix.

4. DICT - Diretório de Identificadores de Contas Transacionais

O DICT é uma das maiores siglas explicadas durante este texto e é a abreviação para Diretório de Identificadores de Contas Transacionais, meio grande né?! Ok, mas o que esse tanto de palavras significa e qual é a função do DICT?

Sendo simples e indo direto ao ponto, o DICT é uma espécie de banco de dados com informações de usuários recebedores e de suas contas transacionais. Mas calma, vamos explicar de uma forma mais prática como isso funciona. Durante uma transação via Pix, a modalidade consulta os dados disponíveis no DICT para concluir os pagamentos. É o Diretório de Identificadores de Contas Transacionais quem faz (como o próprio nome já diz), a identificação dessas contas para o Pix.

Vamos supor que um e-mail específico utilizado por alguém aleatório pertence a conta bancária dessa pessoa. É o DICT quem “conta” para o Pix essa informação, viabilizando, portanto, as transferências. Esse e-mail poderia ser qualquer outra chave Pix, como o CPF, o telefone etc.

No geral, isso não existe para nenhuma outra finalidade que não seja a praticidade durante os pagamentos e, sobretudo, a segurança durante eles. Esse diretório torna as iniciações de pagamentos mais ágeis, solicitando apenas informações básicas para efetivar tais atividades.

Nessa direção, vale pontuar também que o Banco Central – responsável por gerir o DICT, anunciou novas mudanças no Pix que envolvem justamente essa base de dados. Para explicar melhor tudo isso, a Spin preparou um texto sobre. O resultado você pode conferir no nosso blog!

5. IP - Instituição de Pagamento

Essa é mais simples e direta! Uma IP, abreviação para Instituição de Pagamento, está presente no nosso cotidiano e é através desse tipo de instituição que encontramos uma forma de movimentar o nosso dinheiro com segurança e concluir pagamentos. Aí você deve estar se perguntando, existe diferença entre banco e IP? A resposta para essa pergunta é SIM! Uma IP é uma empresa que oferece apenas serviços de pagamento, enquanto os bancos vão além disso, propondo, por exemplo, financiamentos etc.

Uma IP tem o objetivo de viabilizar pagamentos sem depender, diretamente, de um relacionamento com bancos ou instituições financeiras. Logo, a partir dessas instituições a relação de compra e venda se torna mais simples. A Spin Pay é um exemplo de IP!

6. PSP - Provedor de Serviço de Pagamento

Essa sigla significa originalmente Payment Service Provider, ou Provedor de Serviço de Pagamento, em português. De maneira geral, esse termo acaba sendo uma espécie de guarda-chuva que agrega todas as instituições participantes do Pix. Logo, usar esse conceito é deixar as conversas sobre o assunto mais simples, já que o termo se refere a todos quando falamos de Pix.

Portanto, podemos afirmar então que: os PSPs estão dentro do mercado de pagamentos e são instituições financeiras que usam o Pix e participam de toda essa dinâmica, efetuando os serviços com sucesso.

7. API - Interface de Programação de Aplicativos

Aposto que alguém chamou o Open Banking para a conversa, afinal,falou em API nos dias de hoje, falou em Open Banking! Dentro do universo financeiro, fica quase impossível não associar esses dois termos atualmente, já que uma API é um dos segredos para a estrutura do Open Banking (já já explicamos a relação entre os dois!).

Mas então o que é uma API e como ela funciona? No dicionário do Pix, uma API significa Interface de Programação de Aplicativos, tradução para Application Programming Interface.

Para entender sua função, basta pensar em um elo de comunicação entre diferentes sistemas. Resumidamente, essa Interface é um método de linkar programas, trazendo uma padronização para essa conexão.

Trazendo o conceito de API para a vida real, suponha que em uma rede de fast-food há um padrão de instruções para fazer os lanches com sucesso. Agora nesse mesmo restaurante também existem informações sobre entrada, pagamento e retirada desses lanches. Nesse cenário, tudo funciona perfeitamente, certo? Todas essas etapas e protocolos facilitam o serviço. Assim é uma API, ela possui uma certa organização que traz mais eficiência ao que se pretende realizar.

O Open Banking, por exemplo, é um sistema que se utiliza de APIs para funcionar, permitindo o compartilhamento de informações entre as instituições financeiras. Neste caso, o sistema apresenta quais passos deverão ser seguidos e o que deve ser entregue (a exemplo dos lanches do fast-food), mas quem faz acontecer são os PSPs participantes do Open Finance.

8. NFC -Near-Field Communication

Traduzindo para o português, o NFC pode significar “comunicação por campo de proximidade”. E o que o Pix tem a ver com isso você descobre já já…

O NFC é, assim como o pagamento instantâneo que acontece no Pix: super rápido e eficiente. O seu papel é viabilizar a troca de dados entre aparelhos que possuam a tecnologia NFC, como é o caso dos smartphones, pulseiras inteligentes e entre outros. Quando o assunto é Pix, o NFC entra em jogo para efetuar os pagamentos de uma forma ainda mais segura, evitando roubo de informações e entre outros problemas.

Garantir que a modalidade de pagamentos siga por um caminho cada vez melhor é a missão de quem criou o Pix. A Spin Pay também faz parte dessa história e o maior objetivo é tornar tudo mais democrátivo, simples e ágil. Um dos passos para isso é trazer cada informação sobre o Pix para mais perto de você.

Você já conhecia algum desses conceitos? Agora, mais do que nunca, eles fazem parte do universo financeiro como um todo. A previsão é que cada vez mais siglas e definições apareçam, já que o Pix possui uma agenda evolutiva com várias novidades e está, junto com o Open Banking, desenhando o futuro dos meios de pagamento.

Leia também: