Novo limite de transferências do Pix: entenda o que muda

Escrito por: Letícia Santana

A nova regra que limita o valor para transações realizadas via Pix durante a noite, até mil reais, NÃO afeta o e-commerce. Você sabia disso? Se ainda não, vem descobrir isso e muito mais com a Spin Pay!

A nova regra que limita o valor para transações realizadas via Pix durante a noite, até mil reais, NÃO afeta o e-commerce.Você sabia disso? Se ainda não, vem descobrir isso e muito mais com a Spin Pay!

Anunciadas pelo Banco Central, as mudanças no Pix vieram a fim de trazer mais segurança para o ecossistema de pagamentos. O limite do Pix, de mil reais para transferências noturnas, é uma das novas regras. E, agora, você deve estar se perguntando o que muda para quem vende e para quem compra. Então, que comecem os jogos!

Agora, as perguntas que ficam são: qual o limite de transferência do Pix? Com a mudança, tem algum horário específico para fazer Pix? A regra se aplica para qualquer tipo de transferência?

Como aqui na Spin a gente não gosta nem um pouquinho de dúvidas, se liga na resposta para cada uma dessas perguntas…

  1. A mudança já está em vigor e o valor para as transferências do Pix tem um limite de mil reais;
  2. Esse limite do Pix, no entanto, se aplica em um período do dia: a partir das 20h da noite até às 6h da manhã não é possível fazer uma transferência com valores maiores do que mil reais;
  3. A alteração diz respeito apenas às transferências entre pessoas físicas e Microempreendedores Individuais (MEI). Logo, se você deseja fazer um Pix para pessoas jurídicas, como lojas e empresas, tá liberado!

E senta que lá vem resposta! Além de explicar o que de fato mudou no Pix após os ajustes no limite, a Spin Pay preparou um conteúdo bem completo para quem é fã do método de pagamento e também para quem é fã dos e-commerces da vida. Acompanhe o texto para ficar por dentro de todos os detalhes!

O e-commerce será afetado com a mudança de limite do Pix?

Se você pensou que isso afetaria o e-commerce, saiba que, na verdade, a nova regra de limite do Pix não atinge o varejo e e-commerces. É isso mesmo: o lado Pix no e-commerce da força não sofre nenhum impacto negativo dentro do varejo após essa mudança. O limite das transferências não envolve a participação de pessoas jurídicas.

E, se quem alimenta o e-commerce são os clientes e a área não foi afetada com a alteração no Pix, pela lógica esses usuários também não devem se preocupar. Quando o assunto é comprar online, pagar com Pix nas lojinhas virtuais segue do mesmo modo,simples e seguro.

Portanto, essa restrição não atinge a relação do consumidor com o varejo! Fique tranquilo, suas comprinhas poderão ser feitas tranquilamente em qualquer hora do dia usando Pix. Na Black Friday, por exemplo, nada de dormir durante a madrugada, as promoções costumam bombar nesse horário e pagar com o Pix está mais do que permitido!

Por que essas mudanças do Pix pelo Banco Central?

Voltando uma casa atrás, é importante entender o que aconteceu para o Banco Central introduzir as mudanças no Pix.

O conjunto de medidas introduzido pelo BACEN para reforçar a segurança do pagamento instantâneo tem um fundamento central. Os golpes do Pix são a principal motivação para as novas regras.

No entanto, vale a pena detalhar o contexto para reforçar que sim, o Pix é seguro. Tais alterações entraram em discussão após um aumento no número de golpes do Pix, atrelados a problemas de engenharia social. Na prática, isso significa que a principal razão para as fraudes do Pix é o uso indevido do meio de pagamento por parte dos criminosos.

Sendo assim, a arquitetura e toda a tecnologia que fazem o Pix funcionar nada tem a ver com a questão. Mas, mesmo assim, foram necessárias as mudanças! Entre elas está o limite do Pix.

Como explicamos no começo, esse limite só abrange as transferências entre pessoas físicas e MEIs. Porém, vale uma observação: os usuários que queiram abrir uma exceção diante dessa regra, podem alterar o limite e/ou cadastrar quais as contas poderão receber Pix com um valor maior que o limite definido.

Um ano revolucionando os meios de pagamento

O Pix começou a funcionar em novembro de 2020 e hoje é um dos meios de pagamento que mais fazem sucesso no Brasil.Já são mais de 100 milhões de contas cadastradas, além de uma super agenda evolutiva para tornar ainda mais eficaz essa modalidade.

Agilidade e simplicidade são os segredos do Pix, mas ainda assim, existem dúvidas como “O Pix é seguro?” ou “O Pix vale a pena?”. Se você quiser saber mais sobre o assunto, te convidamos a acompanhar o blog da Spin Pay semanalmente. Aqui, todos os conteúdos englobam o grande universo do Pix.

Mas podemos adiantar dizendo algumas coisas. A segurança deste meio de pagamento é um dos pilares que sustentam o fato dele ser tão popular em tão pouco tempo. E se ele vale a pena? Ele já deu match com quem compra e com quem vende! Vem para o jogo você também, vem de Pix (e, de preferência, vem de Pix com a Spin Pay!

Leia também: