Isto não é um frete grátis

Escrito por: Spin Pay

Como empresas podem oferecer frete grátis e descontos aos clientes, no cenário covid-19, sem ter que arcar com prejuízo?

Veiculo de transporte de produtos

Apenas em uma obra surrealista [1] poderia ser vislumbrado um momento tão absurdo quanto o que estamos vivendo em decorrência da maior ameaça à saúde global há décadas: a pandemia do Covid-19 [2]. Tudo é incerto e ninguém tem todas as respostas. Por ora, sabemos que teremos que desbravar um novo mundo, com outra dinâmica de comércio.

Sobrevivência do mais apto

A balança está desequilibrada. Por um lado, o dano causado pelo fechamento das lojas físicas é estimado em R$100 bilhões, se for estendido até o final de maio [3]. Já por outro lado, o Latin American Business Stories (LABS) divulgou que desde o dia 12 de março, alguns e-commerces brasileiros registraram um aumento de 180% em vendas [4] nos setores de alimentos, saúde e beleza, a nível nacional.

Tudo indica que este é o momento de ápice do e-commerce. O presidente da Associação Brasileira do Comércio Eletrônico (ABCOMM), Maurício Salvador, vê esse movimento do varejo online como grande oportunidade para o setor. Para ele, o aumento de vendas é sazonal e tende a diminuir quando tudo se normalizar [5]. Porém, ele complementa que, muitos consumidores não habituados a fazerem compras online, se proporcionados com uma boa experiência, podem aderir ao modelo virtual de consumo, mesmo depois da quarentena.

Um dos sócios da Naked Nuts [6], Thiago Sinisgalli, diz que a plataforma online da empresa gerou um aumento de quase 60%, desde o início da pandemia. Ele atrela este aumento principalmente à mudança de hábito dos consumidores, que por falta de alternativa, já que as lojas estão fechadas, experimentam o varejo online, muitos pela primeira vez.

Já a fundadora da Linus [7], marca de sandálias veganas, Isabela Chusid, acredita que dois fatores tenham gerado o aumento de acessos ao seu e-commerce em 15% e um crescimento de 12% em sessões convertidas: “o tédio devido ao isolamento social, que gera uma compra por impulso, e uma reflexão sobre o modus operandi do mundo pré-Covid-19, que era insustentável,” Chusid explicou. Para ela, o fato de seu produto prezar pelo conforto do consumidor e o bem-estar do planeta, por ser sustentável, fez com que as pessoas usassem esse momento de crise e o tempo ocioso para refletirem sobre o que consumiam e passassem a fazer escolhas mais conscientes em relação ao meio-ambiente.

Experiência positiva para o consumidor

A necessidade de atrair o cliente é manifesta, desde sempre. Só que agora, para o online, mais que nunca, pois trata-se de um momento de grande incerteza, no qual consumidores sentem-se inseguros para gastarem com itens não essenciais para a quarentena. Isto é, a prioridade fica para a indústria alimentícia e a farmacêutica.

Com o objetivo de estimular consumidores e evitar o empate de mercadorias, dada a competição no âmbito digital, muitas empresas têm criado ações atrativas aos clientes como promoções, típicas de Black Friday. A questão é como oferecer descontos sem prejudicar o seu caixa?

Indústrias com menos relevância no cenário Covid-19, infelizmente, tiveram que entrar em modo de sobrevivência. Este foi o caso de uma promoção relâmpago de 50% off em todo o site feita por um varejo de roupas, que resultou em um aumento de 200% nas vendas na última semana. A empresa definitivamente agradou os clientes, porém, declarou que “sequer visou ou obteve lucro, foi apenas uma forma de movimentar o caixa e pagar credores.”

Para a criadora do Tanden Atelier [8], Mila Menezes, a combinação do contexto trágico que o mundo vem passando com o decreto que determinou a paralisia de serviços não essenciais, significava, a princípio, uma pausa total de suas vendas. “Estava desmotivada para falar de moda em tempos tão difíceis”, ela confessou.

Foi então que ela canalizou a vontade de ajudar as famílias em situação de vulnerabilidade, agora intensificada com o avanço do Covid-19, com a necessidade de girar o caixa. Para estimular a si mesma e as clientes, ela criou uma ação em que a cada R$400 em compras, uma cesta básica no valor de R$60 é doada. Com isso, ela notou uma diferença de comportamento de consumo: o ticket médio diminuiu, porém o número de vendas aumentou. Menezes atribui isso ao fato das clientes fazerem um esforço a mais para adquirir o produto de desejo e ao mesmo tempo contribuir com a sociedade.

Segundo um levantamento feito pelo Social Miner, as quintas e sextas-feiras se tornaram os dias mais representativos em vendas para os e-commerces [9]. O estudo também sugere a seguinte estratégia: analisar qual é o dia de maior representatividade em vendas no seu e-commerce? E, a partir daí, criar “ofertas do dia” estratégicas para, além de agradar o público, alavancar o financeiro da sua empresa.

Ceci n’est pas une pipe [10], leia-se: isto não é um frete grátis

Conforme o levantamento feito pelo Social Miner, neste cenário confuso e complexo, as pessoas estão a procura de praticidade [11], inclusive no consumo online. Logo, se sua marca puder, vale oferecer benefícios e facilidades. Aqui entra o infâme, para os comerciantes, porém poderosíssimo, frete grátis: um forte aliado para quem quer agradar o cliente e impulsionar as vendas. Com a entrega gratuita, o cliente tem a sensação de estar economizando, mesmo quando decide comprar mais [12].

No cenário Covid-19, “frete grátis virou default, não oferecê-lo é um prejuízo”, pontuou Chusid da Linus. A empreendedora explicou que mudou a logística de entrega para apenas duas vezes por semana para minimizar atrasos decorrentes dos correios.

Mas se o frete é grátis para o cliente, quem paga é você. Confira, a seguir, diferentes políticas de frete e situações em que podem se aplicar, elaboradas pelo E-commerce Brasil [13]:

1) Tudo com frete grátis

Este é o modelo mais simples – e também o mais arriscado – que você pode assumir: oferecer gratuidade a todos os itens da loja. Normalmente, as lojas que adotam essa tática, o fazem por um curto período, como 24 horas.

2) A partir de determinado valor

Esta é uma forma de puxar para cima o valor do tíquete-médio na sua loja. Você determina um valor mínimo de compras para que o cliente possa obter esse benefício. Por exemplo: frete grátis para todo o Brasil nas compras acima de 100 reais.

O segredo aqui é ter uma folga na margem para arcar com as despesas da entrega, levando em conta sempre o pior cenário: o custo do frete para um endereço que fique a mil quilômetros do seu centro de distribuição.

3) Alguns itens com frete grátis

Defina quais são os itens que interessa a você vender mais e que se enquadram na categoria “fáceis e baratos de transportar”. Para esses, você pode pensar em oferecer a modalidade de gratuidade.

4) Gratuidade sazonal

Em algumas épocas do ano (como Natal) as pessoas têm mais expectativa de que as lojas online ofereçam frete gratuito. Definir um período para a cortesia do serviço seria uma forma de você concorrer nesse momento agressivo do mercado.

Gostou da ideia? Aproveite datas que estão próximas, como o Dia das Mães e o Dia dos Namorados, para entender como você pode se preparar para datas mais agitadas como Black Friday e Natal.

5) Sem custo apenas dentro de um perímetro

Jogando com a equação das possibilidades de frete grátis, você pode descobrir uma distância-limite para esta entrega. Por exemplo, apenas para endereços localizados a até 200 quilômetros do seu centro de distribuição.

6) Taxa anual e frete grátis

Se alguém consome regularmente na sua loja, pode se interessar por pagar uma anuidade e ficar livre de custos de frete durante o ano todo (e, provavelmente, comprará mais sabendo que está livre).

7) Só para quem é fiel

Você pode determinar, por exemplo, que a cada três compras, em uma delas o frete é por conta da casa. Ou então, disponibilizar uma entrega grátis por mês para aqueles que compram toda semana.

8) Retornos e trocas gratuitos

Especialmente se você vende um produto que “precisa servir”, como roupas e sapatos, sua política de trocas e retornos pode ser decisiva. Quem não se sente mais à vontade para comprar aquela peça, sobre a qual ainda tinha dúvidas, ao descobrir que não haverá custo de frete, caso precise fazer uma troca?

René Magritte determinou que a imagem de um cachimbo não é um cachimbo [14]. Nós determinamos que um frete grátis não é grátis. Seja lá a estratégia que lhe couber melhor, lembre-se que a situação que vivemos pede adaptação rápida [15]. Mesmo que não seja para maximizar o seu lucro, é importante que seu produto e/ou serviço não pare de girar.

Fotos:

[1] Foto por Norbert Kundrak em Unsplash.

[2] Foto por Toa Heftiba em Unsplash.

Fontes:

[1] https://www.metmuseum.org/toah/hd/surr/hd_surr.htm

[2] https://coronavirus.jhu.edu/map.html

[3] https://www.istoedinheiro.com.br/o-varejo-em-quarentena/

[4] https://labs.ebanx.com/en/news/business/brazilian-e-commerce-sector-is-already-being-impacted-by-coronavirus/

[5] https://www.istoedinheiro.com.br/o-varejo-em-quarentena/

[6] https://www.nakednuts.com.br/

[7] https://uselinus.com.br/

[8] https://www.tandenatelier.com.br/

[9] https://conteudo.socialminer.com/dados-coronavirus-comportamento-do-consumidor

[10] https://collections.lacma.org/node/239578

[11] https://conteudo.socialminer.com/dados-coronavirus-comportamento-do-consumidor

[12] https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/9-maneiras-diferentes-de-oferecer-frete-gratis-na-sua-loja-virtual/

[13] https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/9-maneiras-diferentes-de-oferecer-frete-gratis-na-sua-loja-virtual/

[14] http://www.revista.vestibular.uerj.br/coluna/coluna.php?seq_coluna=80

[15] https://blog.spinpay.com.br/pagamentos_digitais_protecao_em_tempos_de_covid-19/

Leia também: